Claudia Souto: A mestra de Pega Pega comenta sucesso da novela!

A autora da trama das 7 bateu um papo divertido e cheio de pistas sobre o desfecho dos personagens

Daniel Vilela

Após seu primeiro voo solo nos folhetins globais, a escritora já tem uma nova história em sua cabeça | <i>Crédito: Globo/Maurício Fidalgo
Após seu primeiro voo solo nos folhetins globais, a escritora já tem uma nova história em sua cabeça | Crédito: Globo/Maurício Fidalgo

Já de madrugada, antes de desligar seu computador após um dia inteiro escrevendo o final de Pega Pega, que se despedirá do público dia 8/1, a autora Claudia Souto aceitou bater um gostoso papo com TITITI. Feliz com o êxito de sua primeira novela como autora titular, a maior audiência no horário desde 2012, a escritora diz que não mudaria nada da história que cativou o telespectador. “Não reescreveria nada. A novela é esta que está aí, onde todos os núcleos funcionaram. Fui abençoada”, pondera.

Ao todo, a produção acumula uma audiência média de 29 pontos, ficando atrás apenas de Cheias de Charme (2012). Supera não só as nove antecessoras no horário, como desbanca três tramas das 9.

Engana-se quem pensa que o fenômeno veio por acaso. Neste ano, Claudia completa 25 anos como autora na emissora, sendo uma década dedicada aos folhetins. Ela já colaborou com Walcyr Carrasco e Daniel Ortiz, e confessa: o roubo ao Carioca Palace começou a ser arquitetado há muito tempo.

“Entreguei a sinopse de Pega Pega em 2012. Levou cinco anos para Júlio (Thiago Martins), Agnaldo (João Baldasserini), Sandra Helena (Nanda Costa) e Malagueta (Marcelo Serrado) botarem a mão nas malas de Pedrinho Guimarães (Marcos Caruso)”, revela.

Apesar de já ter decidido desfechos felizes, e outros nem tanto, a novelista faz jogo duro e dá apenas algumas pistas sobre o destino de personagens. “Agora que estamos na reta final falta a revelação dos motivos pelos quais o carro de Mirella (Marina Rigueira) foi sabotado, e a punição de cada um dos criminosos. Quem vai pagar pelo que fez? Quem vai se safar?”, pergunta ela, em tom de suspense.

TITITI – Pega Pega foi engraçadíssima, tanto que nossos leitores sempre pediam capa sobre a história. Esperava essa explosão toda no país?
Claudia Souto
– Que delícia saber que gostaram! Quando vou às bancas de jornais comprar TITITI, penso: queria, mesmo, uma capa com a novela (risos). Brincadeiras à parte, queria contar uma história divertida, leve e amorosa. Me surpreendi com a aceitação do público. 

Como é sua rotina ao escrever a novela?
Costumo dizer que não tem rotina. Basicamente é escrever e escrever. Todos os dias, com raras folgas. E acompanhar os capítulos no ar é uma coisa sagrada!

De cara, o público implicou com Eric (Mateus Solano) e Luíza (Camila Queiroz). Isso preocupou você?
Fiz uma aposta alta em protagonistas nada óbvios. De um lado, um homem de caráter dúbio, marcado por uma tragédia. Do outro, uma menina rica, sem problemas na vida, quase uma patricinha. Sabia que seria um desafio para mim e os atores. 

Podemos esperar um final feliz para Maria Pia (Mariana Santos) e Malagueta?
Maria Pia é engraçada, dramática, errada e, como diriam os americanos, uma loser (perdedora). Sem o amor dos pais, não correspondida em sua paixão da vida toda, é a pessoa que a gente quer confortar e, ao mesmo tempo, dar um sacode. Até que ela encontra Malagueta e começa a mudar. Amo muito esses dois e podemos esperar um final inusitado para eles.

Agnaldo será feliz com Sandra Helena?
Recebo muitos pedidos para que os dois terminem juntos! Será? Sandra Helena é uma força da natureza, única mulher entre os ladrões e precisava ser forte, engraçada e sensual. E Nanda Costa trouxe mais! A gente vê a entrega em cena. O público morre de amores por ela, assim como pelo Agnaldo. Na sinopse, era para ser um cara sério, mas o Baldasserini trouxe essa proposta de ser sem noção e comprei, claro!

Difícil não torcer pelo Júlio mesmo sabendo que ele é um dos ladrões...
Eu o amo desde o dia em que escrevi a primeira fala dele. Vai ser duro me despedir do Júlio. E o Thiago Martins é o quê? É ele encarnado! Nenhum outro ator conseguiria imprimir a fragilidade e sedução desse personagem tão bem.

Já bateu o martelo sobre quem ficará com Antônia (Vanessa Giácomo)?
Já, mas não posso contar (risos). As duas torcidas são muito fortes e vão ter que esperar até o último capítulo para descobrir o desfecho!

O núcleo das drags foi um show à parte...
Quis fazer uma novela plural e inclusiva. As drags foram colocadas de maneira natural, mostrando seu dia a dia, suas várias faces: no palco, como divas e na vida, como homens. Devo a aceitação do público ao talento do Gabriel Sanches, que fez uma Rúbia sensível e realista. Coisa linda de ver.
 

04/01/2018 - 18:00

Conecte-se

Revista Tititi