O Outro Lado do Paraíso: Duda descobre que Clara é sua filha

As cenas estão previstas para ir ao ar na segunda-feira, dia 8.

Mulher de Henrique (Emílio de Mello), mãe de Adriana (Lara Cariello/Julia Dalavia). Mora no Rio de Janeiro com a família. Mas ao cair em uma armação do sogro, Natanael (Juca de Oliveira), é obrigada a forjar a própria morte e a se afastar de todos que ama. Após desaparecer, troca de identidade e será conhecida apenas por Duda. Ela entra num processo de autodestruição em função da bebida e da depressão. Vai vagar por várias cidades até voltar para o Tocantins, sua terra natal. | <i>Crédito: Globo/Raquel Cunha
Mulher de Henrique (Emílio de Mello), mãe de Adriana (Lara Cariello/Julia Dalavia). Mora no Rio de Janeiro com a família. Mas ao cair em uma armação do sogro, Natanael (Juca de Oliveira), é obrigada a forjar a própria morte e a se afastar de todos que ama. Após desaparecer, troca de identidade e será conhecida apenas por Duda. Ela entra num processo de autodestruição em função da bebida e da depressão. Vai vagar por várias cidades até voltar para o Tocantins, sua terra natal. | Crédito: Globo/Raquel Cunha

Duda (Gloria Pires) não poderia imaginar que o acaso promoveria o reencontro com a filha de quem se separou logo após o nascimento. O rosário, única lembrança que Clara (Bianca Bin) tem da mãe, é a peça-chave para ajudar a esclarecer o mistério do paradeiro de sua primogênita. Duda encontra Clara rezando atrás das ruínas da igreja em Pedra Santa, e a peça nas mãos da neta de Josafá (Lima Duarte) chama sua atenção. “Esse rosário. Onde conseguiu?”, pergunta, intrigada. “É a única lembrança que tenho da minha mãe, que morreu quando eu nasci”, recorda Clara. “Mesmo nos piores momentos, nunca abandonei esse rosário. Eu sinto que me leva até minha mãe”. 
 

Duda aos poucos se deixa tomar pela emoção, relembrando o dia do parto e o momento em que entregou a filha recém-nascida. Clara nota a expressão dela e estranha a atitude. “Teve uma reação tão inesperada. Está feliz?”, questiona. Ainda sob o impacto da revelação, Duda tenta organizar as ideias e pensar na melhor forma de contar a notícia para a filha. “Clara, tenho tanta coisa pra dizer, e o que eu tenho a dizer vai transformar nossas vidas. Mas...eu preciso pensar. Estou atordoada. Depois eu quero ter uma longa conversa com você. Depois, Clara, depois. Eu só preciso de um tempo. Um tempo... “, diz Duda, já deixando o local.

Em seguida, ela vai para o bar da cidade e relembra as vezes em que cruzou com Clara, sem imaginar que ela era sua filha. “Por isso o destino nos uniu tantas vezes. Tantas! Eu não acreditava em Deus, mas agora talvez...talvez eu acredite que há uma força superior que rege nossas vidas. Por que eu sempre encontrei com ela?”, pensa. Ela fica na dúvida se abre ou não o jogo. “Minha filha, minha filha! Mas é uma mulher rica agora. O que vai pensar? Que sou interesseira? Não vai ter vergonha por que estou num bordel?”, pensa.

 

07/01/2018 - 17:00

Conecte-se

Revista Tititi